Tensão pré-menstrual (TPM)

TPM e a Medicina Chinesa

PMS

Os sintomas podem ser: tensão emocional, nervosismo; cansaço; inchaço e ou/dor no peito e abdómen; dor de cabeça; dor generalizada; diarreia; obstipação; vómitos e náuseas; sangramento do nariz, fezes e/ou urina, febre, acne, alterações de apetite, etc.

De acordo com a Medicina Chinesa, existem vários mecanismos que são responsáveis por cada um destes sintomas pré-menstruais. Por exemplo, a distensão no peito pré-menstrual indica normalmente estagnação nos canais (meridianos) do Fígado e do Estômago que conectam com o peito. A acne pré-menstrual é frequentemente associada a calor nos Pulmões, entre outros exemplos.

Nestes casos, o tratamento com a Medicina Chinesa ronda tipicamente os 3-4 ciclos menstruais e o número de tratamentos irá diminuir consoante os ciclos e a evolução dos sintomas. Consiste principalmente em acupuntura, medicina herbal, alimentação e, eventualmente, algumas modificações do estilo de vida. O tratamento não suprime simplesmente os sintomas, mas tenta sempre ir à raiz do problema para que os resultados perdurem muito tempo após ter terminado o tratamento.

A medicina convencional explica os sintomas em termos de hormonas, prostaglandinas e neurotransmissores. A Medicina Chinesa explica através de conceitos como Qi, Sangue, Yin, Yang, 5 movimentos e os 12 órgãos e vísceras, o que pode parecer pouco científico, mas tem provado a sua eficácia ao longo de mais de 100 gerações de prática clínica.

Tratamento Complementar para Quimioterapia e Radioterapia

683-cancer-cell

Este tipo de doença é um exemplo típico em que a combinação da medicina chinesa com a medicina convencional é, sem dúvida, a melhor solução para o doente.

Inúmeros estudos indicam que combinando a Medicina Herbal Chinesa e a Acupuntura com os tratamentos convencionais de Radioterapia e Quimioterapia, não só aumenta a eficácia do tratamento, como também diminui significativamente os efeitos secundários e complicações associadas aos diversos fármacos citotóxicos.

Estudos clínicos têm demonstrado que existem grandes vantagens quando se utiliza a Medicina Herbal Chinesa, em termos de supressão da progressão do tumor e aumento da sensibilidade ao tratamento convencional. Também reduz eficazmente muitos dos sintomas, tais como: dor, cansaço, diarreia, obstipação, náuseas, vómitos, perda de apetite, perda de cabelo, tonturas, mal-estar geral, depressão, fragilidade das unhas, supressão da medula óssea, dormência, formigueiro, parestesia de mãos e pés, aftas, febre, reações cutâneas, cistite, protege o fígado, melhora as infeções respiratórias e ainda melhora os sintomas relacionados com caquexia.

A Acupuntura é utilizada neste tipo de tratamento para complementar a Medicina Herbal e ajudar a minimizar ainda mais os efeitos secundários.

Idealmente, o tratamento com a Medicina Tradicional Chinesa deve ser iniciado duas semanas antes de iniciar os tratamentos convencionais e terminar duas a seis semanas após o final do tratamento, sendo, no entanto, eficaz em qualquer altura.

Síndrome do Canal Cárpico e a Medicina Chinesa

Canal Cárpico

A síndrome do canal cárpico surge quando o nervo mediano que passa por um canal ou túnel na zona do pulso fica irritado ou comprimido. Os fatores que estão associados ao desenvolvimento deste problema são em especial os movimentos repetitivos do pulso. No entanto, existem outros fatores, tais como diabetes, artrite reumatoide, problemas de tireoide, gravidez, etc. É um problema que surge mais em mulheres entre os 35 e os 60 anos de idade, ocorrendo menos frequentemente em homens ou em mulheres mais jovens.

Os sinais e sintomas que podem surgir são: a dor no punho, mão e antebraço; formigueiro e dormência, principalmente no dedo polegar, no dedo indicador, no dedo médio e em metade do dedo anelar, porque o nervo mediano é responsável pela sensibilidade nestas áreas; dificuldade em agarrar objetos; dificuldade em fechar a mão, etc. Estas sensações tendem a ser mais frequentes à noite e durante o sono. Se o problema não for tratado, os músculos podem atrofiar.

O tratamento na medicina convencional consiste em medicamentos anti-inflamatórios, injeções no pulso e cirurgia. Alguns exercícios específicos também podem aliviar os sintomas iniciais da síndrome do canal cárpico.

A Medicina Tradicional Chinesa apresenta excelentes resultados e é uma ótima alternativa para tratar os sintomas relacionados com o canal cárpico, inclusive em muitos casos sentem-se logo resultados após os primeiros tratamentos (em especial no alívio da dor).

Tratamento da ENXAQUECA com a Medicina Tradicional Chinesa

enxaquecaa

O QUE SÃO enxaquecas?

As enxaquecas são um tipo específico de dor de cabeça. Duram entre 4 a 72 horas, são de natureza latejante e pulsátil, de intensidade moderada a intensa, normalmente são unilaterais e pioram com o esforço. Associado às enxaquecas também pode ocorrer náuseas, vómitos, sensibilidade à luz, ao som ou a certos cheiros. Para ser diagnosticado como sofredor de enxaquecas apenas necessita de apresentar 3 ou 4 destes sintomas. Atualmente, estima-se que cerca de 10% a 15% da população portuguesa sofre de enxaqueca.

Qual é a causa?

De acordo com a medicina ocidental, a causa da enxaqueca é desconhecida e os seus mecanismos são pouco compreendidos. No entanto, sabe-se que alguns dos factores que a desencadeiam são as alterações hormonais, alterações do sono, alterações na pressão atmosférica, a fome e o stress.

COMO É QUE A MEDICINA CHINESA trata as enxaquecas?

Porque cada paciente apresenta o seu próprio padrão e mecanismo para a enxaqueca, o primeiro passo para o tratamento com a Medicina Chinesa é efetuar um diagnóstico e determinar quais os padrões que estão envolvidos. É este diagnóstico que permite ao especialista determinar qual a combinação de terapias mais adequadas a cada paciente. As terapias podem consistir em acupuntura, fitoterapia chinesa e/ou massagem Tuiná. Tipicamente consiste também em dieta (modificação de alguns hábitos alimentares) e alterações de estilo de vida para tratar a raiz subjacente à doença. A acupuntura pode ser usada tanto de forma preventiva como durante um ataque. Muitas vezes, a acupunctura pode parar ou diminuir a dor após poucos minutos da inserção das agulhas.

Como é que eu sei que a Medicina Chinesa funciona?

Foram realizados vários estudos na República Popular da China que confirmam que a Medicina Chinesa é segura e eficaz no tratamento deste tipo de dor de cabeça. Em seguida apresento apenas dois exemplos: Wang Xian-qi e Sun Qing trataram 52 casos de enxaquecas persistentes com fórmulas herbáceas chinesas, conforme descrito em New Chinese Medicine (#7, 1996), com uma taxa de melhoria total de 94,2%. Bai Hui-min tratou 65 casos de enxaqueca com acupuntura (Tianjin College of Chinese Medicine Journal, # 2, 1996) e obteve uma taxa de melhoria total de 95.3%.

Menopausa

A menopausa é um fenómeno biológico normal que marca o fim dos anos reprodutivos da mulher. Em média, a menopausa ocorre por volta dos 51 anos de idade, mas varia consoante o início da menstruação. A maioria das mulheres passa pelo menos 1/3 das suas vidas na menopausa ou na pós-menopausa.                               A menopausa é a última etapa de um processo biológico gradual, em que os ovários reduzem a produção de hormonas sexuais femininas (as 2 princiapis são o estrogéneo e  a progesterona). A fase gradual antes da cessão completa da menstruação é conhecida por perimenopausa. O processo da menopausa é considerado completo quando a mulher não tem menstruação durante um ano completo. Existe outro tipo de menopausa conhecida por menopausa cirúrgica que ocorre se ambos os ovários forem removidos por razões médicas,  podendo acontecer numa histerectomia (remoção do útero).

menopauseTHOUGHTFUL

Sinais e sintomas

Os sintomas típicos da menopausa variam de mulher para mulher. Alguns investigadores especulam que essas diferenças poderão estar relacionadas com a dieta, estilo de vida e/ou a forma como se encara o envelhecimento. No entanto, em geral, podem surgir os seguintes sintomas:

  • Ciclos menstruais irregulares – volume de sangue menstrual diminuído até parar definitivamente (processo que pode levar cerca de quatro anos).
  • Afrontamentos, rubor na face e peito (pode ser acompanhado por palpitações, tonturas e dores de cabeça).
  • Suores noturnos, ondas de calor
  • Mãos e pés frios
  • Perda de memória
  • Alterações Vaginais – ressecamento, comichão, sangramento após relação sexual.
  • Alterações urinárias – micção frequente, ardor ao urinar, urinar à noite, incontinência.
  • Insónia
  • Alterações do humor – depressão, irritabilidade, tensão.
  • Perda de tónus da pele levando ao aparecimento de rugas.
  • Aumento de peso, alteração da distribuição de gordura, concentrado-se mais na área central e abdominal.

Com o tempo, os níveis de estrogénio e progesterona muito baixos, podem contribuir para o desenvolvimento de condições mais graves, incluindo as seguintes:

  • Osteoporose
  • Doenças cardiovasculares
  • Doença de Alzheimer
  • Degeneração macular (perda de visão no centro do campo visual)
  • Glaucoma
  • Cancro do cólon

Tratamento Ocidental

 Existem muitos medicamentos disponíveis de substituição hormonal (estrogénio, progesterona), comummente denominado por terapêutica hormonal de substituição (THS). THS tem provado ser muito eficaz no alívio de muitos dos sintomas da menopausa, mas ao mesmo tempo o tratamento hormonal também tem sido algo controverso. Estudos recentes relatam que a THS  pode aumentar o risco de doenças cardíacas e AVC. A THS também pode aumentar o risco do cancro da mama. Com base nestas preocupações e evidências científicas até a data, os médicos são incapazes de recomendar o uso prolongado da THS.

Tratamento segundo a Medina Tradicional Chinesa (MTC)

Segundo a MTC, os problemas menopausicos devem-se fundamentalmente aos seguintes quadros:

– Deficiência “Yin dos Rins e Fígado”, com “subida Yang do Fígado

– Declínio da “essência dos Rins” (Yin, Yang ou a combinação da duas)

– Deficiência “Sangue do Fígado

– Deficiência “Yang dos Rins e Baço

– Desarmonia “Rim-Coração

– Deficiência do “Ren Mai e Chong Mai

Esta terminologia da Medicina Chinesa corresponde a padrões/síndromes e por sua vez a sinais e sintomas distintos. Na prática clínica os sinais e sintomas provêm normalmente de uma combinação destes padrões/síndromes e o tratamento é feito de acordo. Dando como exemplo o primeiro caso (deficiência de “Yin dos Rins e Fígado com subida Yang”), os sintomas principais associados são os seguintes: menstruação irregular ou cessada, tonturas, zumbidos, afrontamentos e suores, irritabilidade, dor de cabeça, zona lombar dolorida e fraca, fezes secas, língua vermelha com pouca capa, e um pulso rápido e fino. Cada padrão/síndrome tem sinais e sintomas distintos.

Utilizando principalmente a acupuntura e a fitoterapia, consegue-se eliminar e/ou reduzir eficazmente os sintomas de uma forma natural e sem efeitos secundários. Os tratamentos também são direccionados para a prevenção de algumas das condições referidas anteriormente, principalmente a osteoporose.

Dor Lombar, Ciática e a Medicina Chinesa

Sciatic-Pain-Relief

A Dor Lombar e a Ciática, em termos da Medicina Chinesa, tem uma etiologia e patogenia semelhantes e um tratamento também semelhante. Estes tipos de dor são as mais comuns de todas. Em Portugal, à semelhança do resto da Europa, a tendência é para subvalorizar a dor como um sintoma de menor importância. Contudo, a dor em geral e a Lombalgia em particular representa a principal causa de absentismo laboral no nosso país. São cerca de 1.400.000 dias de trabalho que se perdem por ano. Cerca de 80% da população tem, pelo menos uma vez na vida, um episódio de Lombalgia. A Dor Lombar pode ser descrita como tensão, dolorido, pontada ou rigidez na área entre o fim das costelas e as nádegas e, por vezes, pode estender-se até à parte de cima das pernas. Esta dor pode ter várias causas. Muitas vezes pode vir repentinamente (aguda) ou pode surgir gradualmente num certo período de tempo. A maior parte das dores lombares trata-se de uma forma relativamente rápida, todavia algumas dores podem perdurar durante meses ou anos (crónica).

A Ciática, por sua vez, ocorre quando um dos nervos que une a coluna aos membros inferiores fica sob pressão. Uma hérnia discal é uma causa bastante comum, mas o esforço excessivo e posturas incorretas também podem ser muitas vezes responsáveis pela dor. Existem igualmente outras causas como síndrome do piriforme, estenose da coluna lombar, artrite, etc. A Ciática pode ser descrita como uma dor que começa na zona lombar ou nádega e que irradia pela perna, por vezes até ao pé. É acompanhada por vezes de ardor, frio, formigueiro, dormência, fraqueza, etc.

webmd_rm_photo_of_lower_back_pain

Tratamento com a Medicina Chinesa

A Medicina Chinesa, e em particular a Acupuntura, obtém excelentes resultados para estas queixas. No entanto, também pode ser complementada com massagem Tui Na e Fitoterapia (mistura de plantas terapêuticas) de forma a acelerar a recuperação. De acordo com a Medicina Chinesa, as causas da Dor Lombar/Ciática podem ser: síndrome de Humidade e/ou Frio, Humidade-Calor, Deficiência do Rim e Estagnação de Qi e Sangue. Cada síndrome corresponde a sinais e sintomas diferentes e o tratamento é feito de acordo. Os resultados podem notar-se logo na primeira consulta mesmo em casos mais crónicos. Existem vários estudos que comprovam a eficácia da Acupuntura no tratamento de dor lombar e ciática.

Dicas para umas costas mais saudáveis

  • Se estiver inativo durante um longo período de tempo, comece um programa de exercícios de baixo impacto: caminhada, natação, bicicleta estacionária ou andar 30 minutos por dia. Tudo isto aumenta a força muscular e a flexibilidade. O Yoga também pode ajudar a melhorar a postura, alongar e fortalecer os músculos. Os exercícios devem ser adequados à idade.
  • Faça alongamentos sempre antes do exercício e depois.
  • Quando estiver em pé, mantenha o peso equilibrado sobre os pés.
  • Em casa ou no trabalho, verifique se a superfície de trabalho está a uma altura confortável para si.
  • Sente-se numa cadeira com apoio lombar, numa posição e altura adequadas para o que estiver a fazer. Mantenha os ombros para trás. Periodicamente, caminhe um pouco ou estique ligeiramente os músculos para aliviar a tensão. Um travesseiro ou toalha enrolada colocada atrás das suas costas pode fornecer algum apoio lombar. Se tiver de estar sentado durante muito tempo, descanse os pés num banquinho baixo ou numa pilha de livros.
  • Utilize sapatos confortáveis e de salto baixo.
  • Durma de lado e num colchão firme.
  • Não levante objetos demasiados pesados para si. Levante com os joelhos e não com as costas. Mantenha a cabeça em linha reta com as costas. Mantenha o objeto perto de seu corpo. Não torcer ao levantar.
  • Mantenha uma dieta adequada de forma a reduzir e/ou prevenir o excesso de peso.
  • Se fuma, pare. Fumar reduz o fluxo de sangue na parte inferior da coluna e faz com que os discos intervertebrais comecem a degenerar.

 

Infertilidade, Fertilização in Vitro (FIV) e a Medicina Chinesa

The afflicted girl sits in bed and sees result of the test for pregnancy

Estima-se que a infertilidade conjugal atinja mundialmente cerca de 10-15% dos casais em idade fértil. Esta percentagem tem vindo a aumentar nos últimos anos devido a várias causas, tais como a idade para a maternidade, sedentarismo, stress, obesidade, consumo de tabaco e álcool, a poluição etc. Em Portugal é estimado que cerca de 260 mil a 290 mil casais sofre de infertilidade, dos quais entre 116 mil a 121 mil se encontra em idade reprodutora.

A Fertilização in Vitro (FIV) é uma das técnicas mais utilizadas. Consiste em fazer uma colheita dos óvulos e fertilizando-os fora do corpo. O embrião que resulta desta fertilização é introduzido no útero para depois se desenvolver como numa gravidez normal. A FIV é utilizada em caso de bloqueio das trompas, contagem de esperma reduzida, problemas no colo uterino, fatores imunológicos, infertilidade após cirurgia às trompas, infertilidade após tratamento para a endometriose e para infertilidade de causa desconhecida.

Quando devo utilizar a Medicina Chinesa em conjunto com a FIV?

Para obter os melhores resultados, a Medicina Tradicional Chinesa (em especial a Acupuntura, Medicina Herbal Chinesa e a Dietética) deve ser utilizada antes, durante e depois da FIV. Na mulher, o tratamento acaba por resolver várias irregularidades menstruais, tais como amenorreia (ausência de fluxo), TPM (tensão pré-menstrual), endometriose, miomas uterinos, sangramento uterino excessivo, etc. No homem os tratamentos são direcionados para contagem baixa de esperma, mobilidade baixa, morfologia anormal e problemas com o fluido seminal.

Depois de ocorrer uma implementação de sucesso, a Medicina Chinesa também pode ser utilizada para prevenir o aborto espontâneo e é especialmente eficaz quando há um risco de aborto por distúrbios hormonais tais como níveis baixos de progesterona.

O melhor dos dois mundos

Quando combinamos a tecnologia da reprodução medicamente assistida com o conhecimento holístico milenar da Medicina Chinesa, temos o melhor dos dois mundos. Existem vários estudos efetuados na República Popular da China, que demonstram que, na maioria dos casos, a combinação de ambas as medicinas tem resultados superiores do que por si só. No entanto, a Medicina Chinesa pode não servir apenas para aumentar a taxa de sucesso da FIV. Funciona igualmente para estimular a produção de óvulos em mulheres que não querem tomar medicamentos.

Como é que a Medicina Chinesa ajuda a aumentar a taxa de sucesso?

  1. Melhora a função dos ovários para produzir óvulos de melhor qualidade.
  2. Regula as hormonas de forma a produzir uma quantidade elevada de folículos.
  3. Aumenta o fluxo sanguíneo ao útero e aumenta a espessura do revestimento do útero (o endométrio).
  4. Relaxa o paciente e diminui os níveis de stress.
  5. Ajuda a prevenir contrações uterinas.
  6. Diminui os efeitos secundários dos medicamentos convencionais utilizados na FIV.
  7. Fortalece e regula o sistema imunitário.
  8. Melhora o sémen masculino, aumentando a quantidade e qualidade do mesmo.
  9. Diminui a probabilidade de aborto espontâneo.

Pode por isto ajudar a atravessar a linha de infértil para fértil, simplesmente ajudando ao seu corpo a funcionar mais eficientemente e, por sua vez, permite que outros tratamentos mais modernos como o FIV, funcionem mais eficazmente. No entanto, em muitos casos a Medicina Tradicional Chinesa demonstra ser bastante eficaz por si só e muitas mulheres optam por esta abordagem por ser um tratamento muito menos dispendioso.

infertility-treatment

Como são os tratamentos?

Os tratamentos são feitos normalmente de acordo com as diferentes fases do ciclo menstrual (fase pré-menstrual, menstrual, pós-menstrual, ovulação e pós ovulação), ou seja, os tratamentos são adaptados a cada fase do ciclo. Consoante o progresso do tratamento e a fase do ciclo, assim serão os pontos de acupuntura e as plantas terapêuticas utilizadas.

Existem alguns estudos que demonstram a sua eficácia?

Vários estudos indicam que utilizando a Acupuntura com a FIV, a taxa de sucesso aumenta consideravelmente, especialmente em conjunção com a Medicina Herbal Chinesa. Algumas experiências clínicas apontam para um aumento da taxa de sucesso de pelo menos 60%.

Um estudo feito com 160 mulheres, publicado em Abril de 2002 no jornal “Fertility and Sterility”, um grupo de investigadores alemães concluiu que juntando a Acupuntura aos protocolos de tratamento da FIV, a taxa de sucesso aumenta substancialmente. Neste estudo, um médico endocrinologista conceituado da Universidade de Cornell, encontrou uma ligação clara entre os tratamentos e as hormonas no cérebro envolvidas da conceção.

Outro estudo publicado no jornal “Medical Acupuncture” em 2000, uma médica da Oregon Health Sciences University refere que a acupuntura pode ter um impacto direto no número de folículos disponíveis para fertilização em mulheres que estão recebendo tratamentos com FIV.

Ainda outro estudo Americano com 114 mulheres demonstrou que 51% das mulheres que utilizaram a Acupuntura em conjunto com a FIV engravidaram, em comparação com apenas 36% das mulheres que utilizaram apenas a FIV.

Tratando a Rinite com a Medicina Chinesa

alergia-rinite-sinusite

Cerca de ¼ da população Portuguesa sofre de Rinite Alérgica, ou seja, cerca de 2,5 milhões de Portugueses. É de realçar também que a ocorrência de alergias nos países desenvolvidos tem vindo a aumentar substancialmente nos últimos anos.

O que causa a Rinite Alérgica?

A Rinite Alérgica é essencialmente uma reação errónea do nosso sistema imunitário, a partículas em suspensão que, normalmente, não provocam qualquer tipo de problema. Estas partículas podem ser pólen, pó, pêlos de animais ou bolor. A alergia também pode a insetos e às suas fezes. A maioria das pessoas inalam tudo isto sem causar qualquer tipo de reação alérgica. No entanto quando essas partículas são inaladas por pessoas que sofrem de alergias, o corpo reage como se estivesse a ser invadido por um agente patogénico. Ocorrem sintomas tais como: espirros, corrimento nasal, nariz entupido, olhos vermelhos com comichão e a lacrimejar, dor de cabeça e até sintomas asmáticos tais como pieira, respiração ofegante e tosse.

Na medicina convencional, o tratamento consiste numa combinação de corticoesteróides, anti-estamínicos e descongestionantes. Apesar dos efeitos secundários destes medicamentos serem menores comparativamente ao passado, muitos pacientes preferem não tomar estes medicamentos durante longos períodos de tempo. Felizmente a Medicina Chinesa dispõe de alternativas  aos medicamentos ocidentais no que diz respeito à Rinite Alérgica e a outros tipos de alergias.

Como é que a Medicina Chinesa trata a Rinite Alérgica?

Em primeiro lugar, elabora-se um diagnóstico à luz da Medicina Chinesa para verificar quais os padrões de desarmonia que estão presentes. Baseado depois neste diagnóstico elabora-se um plano terapêutico personalizado. O tratamento é normalmente dividido em 2 fases. Durante a fase aguda os tratamentos são direcionados principalmente para aliviar o desconforto (sintomas). Entre essas mesmas fases, o tratamento é direcionado para tratar a raiz do problema, eliminando ou reduzindo ataques posteriores.

Rinite Alérgica e Dieta

A dietética terapêutica é normalmente importante na maior parte dos casos e influência bastante o resultado terapêutico final. Em particular, deve-se evitar açúcar e doces, sumos de fruta, lacticínios, excesso de comida fria e crua, etc.

Questões Frequentes

acupuntura-hg-17.11.2009

 

As agulhas são descartáveis?
As agulhas são utilizadas uma única vez.

Quanto tempo dura uma sessão de Acupuntura?
Uma sessão de Acupuntura dura cerca de 25-30 minutos, depois de colocadas as agulhas.

As agulhas têm algum líquido especial para aliviar as dores?

As agulhas não têm qualquer tipo de produto, líquido ou outro.

A Acupuntura é aconselhável a todas as idades?

Sim. A acupuntura pode ser feita desde os bebés a pessoas idosas.

As agulhas são grossas?

As agulhas têm normalmente uma espessura que ronda os 0.25mm, ou seja, muito mais finas que uma agulha oca (ex. de tirar sangue ou de dar injeções).

As agulhas são dolorosas?
As agulhas não causam praticamente nenhuma dor.

O que é a Fitoterapia?
A Fitoterapia consiste na utilização de uma planta ou combinações de plantas com determinada ação terapêutica. 

A Fitoterapia tem efeitos secundários?
Se prescrito adequadamente, não.

A Fitoterapia pode ser dada a crianças?

Sim. Existem formas de fitoterapia específicas para crianças.

As plantas utilizadas são seguras?

Todas as plantas utilizadas por nós passam por um rigoroso controlo de qualidade, nomeadamente por pesticidas, metais pesados, bactérias e quando necessário aflatoxinas.

Podem ser tomados medicamentos enquanto se faz Acupuntura e/ou Fitorerapia?

A Acupuntura não tem qualquer interação com a medicação da Medicina Ocidental e a Fitoterapia, bem prescrita por um profissional, também não.

Qual a duração dos tratamentos? Quantas sessões são necessárias?
A duração de um tratamento depende do tipo de doença, do diagnóstico e das técnicas utilizadas. O primeiro tratamento inclui diagnóstico e tem a duração de uma hora a uma hora e meia. Nas consultas seguintes, o tempo já é menor, entre quarenta e cinco minutos a uma hora. A duração do tratamento, na sua totalidade, é muito variável, pois depende do problema em si, da idade, se é uma problema crónico ou agudo e da própria sensibilidade do paciente. Existem problemas que se tratam com apenas um tratamento e outros que podem levar alguns meses.

Ao fim de quanto tempo se sentem melhoras?
Na grande maioria dos casos, sentem-se melhoras logo nos primeiros tratamentos. No entanto, cada caso é um caso e pode haver quem só as sinta a meio do tratamento.

É comum sangrar-se ao tirar a agulha ou ficar com hematoma no local da agulha?
Na grande maioria das vezes, não sangra nem fica qualquer marca. Contudo, nalguns casos pode haver um ou outro ponto em que isso acontece.

O tratamento pode ser realizado durante o período menstrual?
Sim.

Medicina Tradicional Chinesa

O termo “Medicina Tradicional Chinesa” é utilizado para descrever um sistema de medicina que se desenvolveu na China. Os textos mais antigos encontrados datam de cerca de 3500 anos atrás e descobertas arqueológicas sugerem que as origens da medicina chinesa têm pelo menos 5000 anos.

Esta medicina, mesmo sendo denominada de tradicional, tem mudado e evoluído com o tempo, até aos dias de hoje, vislumbrando-se como parte constituinte do mundo moderno.

A MTC é uma medicina holística, vê o corpo humano como um todo indissociável (corpo, mente, espírito), um equilíbrio energético. Quando esse equilíbrio é afetado por alguma razão, surge a doença. A MTC funciona ao repor esse mesmo equilíbrio, restabelecendo a saúde.

São utilizados quatro examinações básicas para determinar o que está em desequilíbrio, elaborando-se assim o diagnóstico. Em primeiro, questionam-se os sinais e sintomas, historial médico e desenvolvimento da doença; em segundo, observa-se a face, o corpo e, em especial, a língua e respetiva capa; em terceiro, ouve-se a voz, a respiração e verificam-se alguns odores que o corpo possa transmitir e, finalmente, faz-se a palpação de diversas áreas do corpo, em especial os pulsos.

A MTC utiliza vários métodos para tratar os diversos problemas, nomeadamente a Acupuntura, Moxabustão, Medicina Herbal Chinesa, Massagem Tui Na, Dietética, Reflexologia (estimulação numa determinada área reflexa como os pés, mãos e orelhas) e o Chi Kung (ginástica energética).

acumeridiansold

Acupuntura

A acupuntura (do latim acus – agulha e punctura – colocação) é a técnica da Medicina Tradicional Chinesa mais conhecida e, de acordo com a nova terminologia da OMS  Organização Mundial da Saúde, é um método de tratamento complementar eficaz comprovado desde 1979, em 43 doenças. Foi também declarado Património Cultural Mundial pela Unesco em 19 de novembro de 2010. Desde essa altura, vários estudos científicos foram realizados no ocidente que demonstram a sua eficácia em mais de 100 doenças.

Acupuntura consiste na inserção de agulhas esterilizadas muito finas em pontos específicos do corpo com o objetivo de reequilibrar a energia vital (Qi – pronunciado chee) do organismo e assim tratar a doença. Cientificamente, sabe-se que a Acupuntura estimula a circulação sanguínea local, mais concretamente nos pontos de acupuntura. São também produzidas uma série de substâncias que fazem com que exista um equilíbrio dos sistemas  Imunitário, Endócrino e Nervoso.

Existem mais de 400 pontos de acupuntura, sendo a maioria localizado num nos 12 principais meridianos ou canais que percorrem todo o corpo bilateralmente. Existem mais oito designados de “meridianos extraordinários” que são também bilaterais exceto dois que percorrem a linha média. Para além destes pontos, existem também os chamados “pontos extras” que não pertencem a nenhum canal. Cada ponto de acupuntura tem uma localização anatómica bem descrita, mas de pessoa para pessoa pode variar ligeiramente.


Medicina Herbal Chinesa

É um complemento muito importante à Acupuntura, pois conta com milhares de combinações, principalmente à base de plantas e ervas, para ajudar no processo de tratamento e no resultado final. Inclusive, nalgumas patologias, é o tratamento principal.

Estas combinações,denominadas de fórmulas, podem ser prescritas na forma de comprimidos, cápsulas, pós, chás e plantas secas,  de acordo com o diagnóstico à luz da Medicina Tradicional Chinesa.

No centro Medi&Estética, utilizamos fórmulas reconhecidas internacionalmente pela sua qualidade e eficácia. Utilizamos os melhores ingredientes  com um apertado controlo de qualidade. Tudo o que prescrevemos é rigorosamente controlado por laboratórios independentes que obedecem a controlos de qualidade feitos por organismos Europeus e Norte-Americanos. Isto é extremamente importante, pois existem inúmeras gamas de Fitoterapia Chinesa de muito baixa qualidade no mercado.

medicina herbal


Moxabustão

É uma técnica da Medicina Tradicional Chinesa que consiste na aplicação de calor a áreas ou a pontos de acupuntura, pela combustão da erva Artemisia sinensis e Artemisia vulgaris. O caracter chinês para acupuntura (针刺) traduzido literalmente significa “acupuntura-moxabustão”. A moxabustão pode ser feita de duas formas: direta ou indireta. Direta significa que é diretamente em cima da pele com a forma de um cone, bago de arroz, cilindro, etc. Indireta significa que é feita em cima da agulha (como na imagem) ou com um charuto. O paciente sentirá uma sensação agradável de calor que penetra profundamente na pele e nunca dor ou queimação.

Para que serve esta técnica?

Nos princípios da Medicina Chinesa, a moxa é utilizada principalmente em pacientes que têm quadros de “frio”, “humidade” e de “estagnação”, pois a moxabustão aquece os meridianos e promove uma melhor circulação de Qi e sangue.

Alguns estudos, um deles no Journal of the American Medical Association (1998), comprovam que a moxabustão, num ponto de acupuntura específico, ajuda em 75% do casos a virar o feto para uma posição normal quando este se encontra numa posição sentada. A moxabustão é também frequentemente utilizada nas seguintes queixas: diarreia, colite, incontinência urinária, dores menstruais, ciática (alguns tipos), osteoartrite do joelho, síndrome temporomandibular, lesões dos tecidos moles , dor no calcanhar, asma e herpes zóster. Também pode ser utilizada para tratar fraqueza, fadiga e problemas relacionados com o envelhecimento.

Moxa


Auriculoterapia

A auriculoterapia é uma terapia que consiste na estimulação de diversos pontos específicos nas orelhas. Este estimulo pode ser efetuado com agulhas, sementes de mostarda, objetos metálicos ou magnéticos. Os pontos, denominados de pontos reflexos, correspondem a diversas funções, zonas e órgãos do corpo. Quando estimulados, o cérebro recebe um impulso que desencadeia uma série de fenómenos físicos, promovendo assim a saúde.

É uma terapia utilizada para aliviar dores (enxaqueca, dor ciática, torcicolo, contraturas musculares…), tratar ansiedade, enxaqueca, obesidade, excesso de apetite, problemas digestivos, insónia, stress, vícios como fumar etc. Também pode ser utilizada para tratar a hipertensão, vertigens ou palpitações. Além disso, a auriculoterapia ajuda a diagnosticar e a prevenir algumas doenças através da observação dos pontos específicos da orelha que se encontram alterados.

auriculoterapia-organs


Massagem terapêutica Tuiná

O termo Tuiná significa literalmente “empurrar e agarrar”. Este tipo de massagem é específico da Medicina Tradicional Chinesa. Utiliza manipulações e técnicas específicas para estimular pontos e trajetos semelhante a uma sessão de acupuntura. Também é aplicada a áreas mais abrangentes dependendo de cada queixa.

Quais as principais diferenças entre a massagem Tuiná e outros tipos de massagem?

  1. A Tuiná apenas é executada depois de elaborado um diagnóstico.
  2. É uma massagem terapêutica e não apenas de relaxamento, ou seja, visa tratar ou contribuir para tratar doenças.
  3. Inclui técnicas de manipulação capazes de corrigir quadros patológicos caracterizados por incorreta posição articular.
  4. Existem técnicas específicas para crianças, Tuiná pediátrico, o que se torna bastante útil como substituto da acupuntura.

Beautiful woman in a spa with massage therapy


Ventosaterapia

É utilizada há milhares de anos pela Medicina Chinesa, mas não é uma técnica exclusiva desta medicina, havendo registo de utilização de ventosas para fins terapêuticos em antigas civilizações como a Egípcia, Grega, em toda a África e nas comunidades Índias Norte Americanas, sendo inicialmente utilizados chifres de animais aquecidos.

Na Medicina Chinesa, o uso de ventosas baseia-se na Acupuntura. Consiste na colocação de um género de copos de vidro, de bambu ou de plástico numa determinada zona. O ar é retirado do seu interior produzindo um efeito de sucção e o tecido por baixo é parcialmente levantado para dentro do copo. Sente-se um género de aperto na zona do copo, produzindo um efeito relaxante e calmante.

Dependendo do que estamos a tratar, as ventosas podem ficar fixas ou podem ser movidas. Para fazer ventosas móveis, é aplicado primeiro um óleo de massagem ou um creme, depois deslizamos as ventosas sobre a zona a tratar, sendo o efeito semelhante a uma massagem. Ajuda a ativar a circulação, retirar “estagnações e bloqueios”, melhora o funcionamento dos órgãos e estimula os pontos e trajetos da acupuntura.

Não provoca dor, no entanto a pele pode ficar com alguma descoloração que desaparece passado alguns dias.

A ventosaterapia é utilizada com sucesso nas seguintes queixas: Dores Musculares, Dor Lombar, Artrite, Stress, Gripe, Constipação Comum, Hipertensão, Má Circulação, Celulite e Gordura Localizada.

A ventosaterapia é habitualmente articulada com outras terapias da Medicina Chinesa.

Hipócrates, o homem que muitos consideram ser o “pai da medicina moderna”, no seu guia de tratamento clínico recomenda a ventosaterapia…

 

Fire cupping cups on back of female patient in Acupuncture therapy


Reflexologia podal

A reflexologia podal consiste na utilização de diversas técnicas onde se aplica pressão em determinados pontos e áreas em ambos os pés. Existem zonas reflexas na sola, dorso e lateralmente. Esta estimulação tem em vista estimular determinados órgãos, nervos, glândulas e partes do corpo ligados a estas zonas reflexas. É uma técnica que pode ser utilizada por si só ou como parte integrante de um tratamento de Medicina Chinesa. Ajuda significativamente em patologias emocionais, insónia, diversos problemas gastrointestinais, sistema imunitário, sistema linfático, dor de cabeça, enxaqueca, ciática, dor lombar etc.

Imagem-2-Reflexologia-Podal 


Dietética

Quando o diagnóstico pede uma dieta particular, o Especialista de MTC considera os alimentos de forma semelhante à que olha para as plantas e assim prescreve uma dieta específica.

Os alimentos são vistos de uma forma diferente do habitual. Na Medicina Chinesa são vistos principalmente pela sua Natureza: Quente, Morno, Neutro, Fresco e Frio; pela sua Ação: Descendente, Ascendente, Harmonizar, Centrífuga e Centrípeta e pelo seu Sabor. Sendo que cada sabor corresponde a órgãos específicos:

O sabor Amargo relaciona-se com o Coração e o Intestino Delgado;

O sabor Doce relaciona-se com o Estômago e o Baço;

O sabor Picante está ligado ao Pulmão e Intestino Grosso;

O sabor Salgado associa-se ao Rim e à Bexiga;

O sabor Ácido relaciona-se com o Fígado e a Vesícula Biliar.

Se um sabor é ingerido na quantidade certa vai alimentar a forma e a função do órgão; se pelo contrário a dose for excessiva vai lesá-lo ou hiperestimulá-lo.

O desejo excessivo de um determinado sabor pode ser indicador de desequilíbrio nesse determinado órgão.

A forma de cozinhar (grelhar, estufar, saltear, no forno, etc.) pode alterar em parte a natureza do alimento.

 

dietetica