Dr. Tiago Martins

Especialista Licenciado pela ESMTC de Lisboa e pela Universidade NJUCM de Nanjing, China. Cédula Profissional ACSS Nº 0500429.

perfil Medi

Entrevista para o Jornal “A Voz de Loulé”

Data da entrevista: 20 de Março de 2013

Dr. Tiago Martins, natural de Faro, Licenciado em Medicina Chinesa pela Universidade ESMTC de Lisboa e pela Universidade de Nanjing NJUCM, China. Efetuou diversos estágios hospitalares em Nanjing, China sob supervisão de grandes mestres de Acupuntura e Moxabustão tais como a Dra. Wang Lingling e o Dr. Tao Kun. Atualmente pratica Medicina Tradicional Chinesa na clinica Tiago Martins – Acupuntura&Medicina Chinesa em Almancil, na rua do Calvário nº16.

 

Porque estudou Medicina Tradicional Chinesa?

A cultura oriental sempre me fascinou e a Medicina Chinesa é uma área que me despoletou especial interesse por várias razões. Em primeiro lugar, é uma medicina milenar que existe há mais de 2500 anos, ou seja, a medicina mais velha praticada continuamente e documentada do mundo, depois trata o corpo de uma forma holística, como um todo indissociável e tem um método de diagnóstico e de tratamento único. Também tem uma base filosófica extremamente interessante.

Sempre se interessou por esta área?

Não. Comecei a interessar-me pela Medicina Chinesa depois de um familiar me contar que não estava a obter resultados satisfatórios na medicina convencional e que estava farto de tomar medicamentos. Decidiu então experimentar a Medicina Chinesa e obteve ótimos resultados. Achei realmente muito interessante e comecei a investigar no sentido de perceber em que consistia esta medicina milenar. Depois de ler alguns livros e artigos sobre o assunto, interessei-me de tal forma que decidi formar-me nesta área.

Já pratica esta Medicina há muito tempo?

Pratico esta medicina há cerca de 10 anos.

A Medicina Chinesa é tradicional, alternativa, ou atual?

A Medicina Chinesa acaba por ser as três. É tradicional, porque são utilizados vários métodos antigos que empiricamente estão comprovados. Alternativa ou complementar, porque é uma medicina não convencional, com bases filosóficas, de diagnóstico e tratamento únicos no mundo. É atual, porque tem evoluído até aos dias de hoje e está perfeitamente adaptada e enquadrada no mundo atual. Inclusive são vários os estudos científicos que têm sido feitos em torno da acupuntura e da fitoterapia chinesa onde a sua eficácia é comprovada.

Que áreas compõem a Medicina Tradicional Chinesa?

Apesar de a Acupuntura ser a técnica mais conhecida, apenas representa uma parte da Medicina Tradicional Chinesa. Existem outras áreas de igual importância, nomeadamente o diagnóstico à luz da Medicina Chinesa (essencial para fazer uma boa terapêutica), Moxabustão (aplicação de calor a áreas ou a pontos de acupuntura), a Fitoterapia Chinesa (misturado de plantas medicinais com fins terapêuticos), Massagem Tuiná (massagem terapêutica), Reflexologia (estimulação de pontos em uma ou mais áreas reflexas), Dietética (aconselhamento nutricional de acordo com a patologia), Chi Kung (ginástica energética), etc.

Quais as principais vantagens que as pessoas reconhecem na Medicina Tradicional Chinesa?

As principais vantagens que as pessoas reconhecem são: a eficácia dos tratamentos, o efeito duradouro dos resultados, praticamente ausente de efeitos secundários e a individualidade dos tratamentos. Cada pessoa é tratada de uma forma única. Duas pessoas com uma queixa igual poderão ser tratadas de um modo muito diferente, dependendo dos sinais e sintomas que cada um apresenta, ou seja, os tratamentos são adaptados especificamente a cada paciente. Há um ditado da Medicina Chinesa que diz: “Doenças diferentes, o mesmo tratamento. Doenças iguais, tratamentos diferentes.”

Há outras vantagens da Medicina Tradicional Chinesa não reconhecidas habitualmente?

Os tratamentos visam sempre tratar, não só a manifestação (a queixa), mas também a raiz inerente ao problema, para que o resultado perdure e seja realmente bom. Tratando essa mesma raiz também é sinónimo de prevenção, ou seja, irá prevenir recorrências. Na prevenção é que está a chave para uma boa saúde.

Os resultados da  Medicina Tradicional Chinesa são idênticos aos da Medicina Convencional?

Os resultados nalgumas patologias são idênticos ou melhores. Temos também que ter em atenção a relação risco/benefício para o paciente e realmente o risco dentro da Medicina Chinesa é muito baixo. No entanto, não se pode negar que a medicina convencional trata muito bem vários problemas de saúde e que é extremamente importante. É da minha opinião que o ideal é a complementaridade entre ambas as medicinas, pois elas não são de forma alguma antagonistas. Quando tal acontece, quem sai beneficiado no fim é o paciente.

Qual o futuro da Medicina Tradicional Chinesa em Portugal?

A Medicina Chinesa em Portugal está a caminhar num sentido bastante positivo, não apenas no aumento substancial da procura nos últimos anos (isto porque os doentes experimentam, gostam e acima de tudo obtêm bons resultados) como também na qualidade a nível do ensino, pois os cursos superiores de Medicina Chinesa estão perfeitamente ao nível do que se ensina lá fora.

Trabalha só com acupuntura ou também utiliza outros tipos de terapias?

Trabalho com todas as áreas que referi anteriormente. No entanto, como cada paciente é um caso, utilizo as terapêuticas que achar mais apropriadas, de acordo com a queixa do paciente.

 

 

Anúncios